Betty

RESUMO:

É cada vez mais comum o crescimento do abandono dos cursos profissionalizantes antes de sua conclusão, na realidade, há necessidade das instituições de ensino técnico reconhecer a importância e a viabilidade do ensino teórico e prático se efetivarem simultaneamente, bem como revisão de suas metodologias, currículos, e formações de seus docentes, com o intuito final de propiciar formas de aprender mais atrativas e mais próximas do cotidiano dos educandos. A pesquisa foi realizada por meio da aplicação de questionários e mediante 80% das respostas de uma amostra de 106 alunos 1º 2º e 3º anos divididos entre os quatros cursos técnicos: Administração, Informática, Agente de Saúde e Técnico em Enfermagem Do CEEP- Dr. Fontes Ibiapina Escola da Rede Pública estadual se posicionarem insatisfeitos com estágios e práticas dos cursos. Após entrevistas com os mesmos foi desenvolvido o projeto I Ação Social dos Cursos Técnicos Profissionalizantes. Com a ministração de aulões de três maneiras distintas: aula expositiva, aula prática e aula seminário apresentadas pelos alunos para todo o ensino médio da referida escola. Os discentes, afirmam que a prática logo após a teoria ajuda na compreensão de alguns conteúdos, que muitas vezes são difíceis de assimilar com as aulas tradicionais e que a manipulação, uso de ferramentas e instrumentos de uso do cotidiano como computador, organização de eventos, de fichas, cartazes, uso de aparelho de auferir pressão arterial, oximetros, jalecos, materiais propícios à reprodução de larvas tudo de acordos com as necessidades de cada curso facilita a compreensão dos conteúdos e que os treinamentos aliados às aulas expositivas de forma interdisciplinar trouxe elevação em seus rendimentos, demonstrando que os recursos materiais e tecnologias são importantes para o processo ensino aprendizagem. Palavras-chave: Educação, Ferramentas, instrumentos, Prática Metodologia.

Instrodução

Os cursos técnicos profissionalizantes são excelentes referências para abrir portas no mercado de trabalho. Os educandos que foram formados em cursos, cujo conteúdo é voltado para as principais demandas das empresas, têm maior facilidade de inserção no mercado.

Este artigo tem como objetivo demonstrar a articulação entre as áreas técnicas dos cursos profissionalizantes de Informática, Administração, Técnico de Enfermagem e Técnico em Agente de Saúde com conteúdo e pratica dos cursos simultaneamente demonstrando, através do estudo que embasa este texto, a possibilidade de aprimorar os processos de formação e aprendizagem com a utilização dos recursos matérias pertinentes a cada curso. O projeto realizado com alunos do 1º, 2º e 3º anos do curso técnico de nível médio tomando esta realidade evidencia-se a necessidade de “abrir as portas da escola” para os recursos práticos, indo para além da utilização destes como simples instrumentação, no intuito de aproximar mais os estudantes dos saberes produzidos/difundidos na escola. Demo (2008) enfatiza que grandes são os desafios que envolvem estas mudanças, todavia afirma que o desafio maior está mais do lado educacional do que tecnológico, porque segundo o autor, a pedagogia continua “empacada em propostas tradicionais instrucionistas, sem falar que resiste a tornar-se tecnologicamente correta” (p.01).

O uso do maior número de instrumentos e as ferramentas estimulam os alunos a se envolverem com o conteúdo além de permitir uma vivência social informal dos jovens, que se colocam como protagonistas de uma nova geração que utiliza os recursos técnicos de sua profissão em todas as situações vivenciadas cotidianamente, ultimamente tem-se questionado em que lugar a educação formal se insere nesse contexto. O computador há que se tornar um importante instrumento auxiliar no processo de ensinar e aprender, tornando-se uma ferramenta pedagógica importante e interessante nos cursos técnicos de informática e Administração. Os jovens estão utilizando cada vez mais o computador e trazê-lo para sala de aula, pode ser uma estratégia interessante se utilizado corretamente. Por isso, faz-se necessário atribuir novos valores à tecnologia fazendo desta uma ótima aliada no desenvolvimento educacional e social dos estudantes. A utilização de aparelho oxímetro, aparelho de pressão arterial, glicemia, termômetros são instrumentos precisos para técnicos em enfermagem e Agentes de saúde. A I Ação Social dos Cursos Técnicos profissionalizantes foi o resultado dos aulões nos turnos tarde e noite. Os alunos do curso de Administração foram os cerimonialistas do evento responsáveis pelas inscrições de todos os alunos, confecção dos jalecos e camisas de acordo com os cursos, decoração e organização dos locais dos aulões, dos stands, recursos multimídias, recepção de autoridades, palestrantes, conferencistas e entrega de certificados. O curso de informática assumiu a responsabilidade de aprender na prática e confeccionar os convites, fazer as fichas de inscrições e frequências, certificados, crachás, folder de divulgação e repassar esse material para os alunos do curso de administração desempenharem seu papel. O curso Técnico e Enfermagem e Agente de Saúde tinham a responsabilidade de praticar a teoria da área da saúde como: oximetria, temperatura, glicemia, Fator RH, pressão arterial com auxilio dos facilitadores voluntários Enfermeiros, Técnicos de Enfermagem profissionais do HEMOPI, Médicos, Auxiliares profissionais da Maternidade Dona Evangelina Rosa, Fundação Municipal de Saúde e Zoonose de Teresina até o dia da culminância para atender a população do bairro renascença I e adjacências que com stands cada curso se posicionou devidamente caracterizado para informar, ensinar, atender, e sensibilizar a todos sobre a importância destes cursos de maneira mais estruturada nas escolas públicas do estado.

Considerações finais

O ensino técnico é uma excelente oportunidade para o Brasil tentar resolver seus problemas de mão de obra qualificada. É por isso que o poder público deve investir nas escolas de Ensino Técnico profissionalizantes.

O Brasil ainda tímido nessa questão. Apenas 10% dos alunos do ensino médio fazem cursos profissionalizantes, quando o ideal, segundo especialistas, seria um percentual de 30%. Na Alemanha, por exemplo, país que lidera os índices de tecnologia na Europa, 70% dos alunos do ensino médio fazem cursos técnicos. Na América do Sul, a Argentina e o Chile também estão à nossa frente nesse quesito.

Adicionado a essa formação, o estágio, vem reforçar sua eficiência como modalidade de captação de futuros profissionais. Nesse percurso, os estudantes vão ter contato com a prática profissional e ser treinado para determinadas funções, o que não só enriquece seu currículo e sua formação, como oportuniza sua inserção no mercado de trabalho.·.

Devido à carência de mão de obra qualificada no mercado de trabalho, muitas instituições têm oferecido cursos profissionalizantes que tem como objetivo qualificar e capacitar pessoas para suprirem demandas exigidas por empresas e indústrias espalhadas por todo o país.

Os cursos profissionalizantes são uns dos que mais cresceram nos últimos anos e têm alcançado pessoas de várias idades e classes sociais. Mas qual é a vantagem de se fazer um curso profissionalizante? A vantagem de se fazer esse tipo de curso é que em pouco tempo o aluno estará apto para ingressar no mercado de trabalho, o tempo de duração de um curso técnico é em média de dois anos, além de o tempo ser menor, o estudante tem mais facilidade de conseguir um estágio em sua área. Já os cursos de graduação são mais longos e dependendo do curso, o aluno leva cerca de quatro a oito anos para receber seu certificado de formação.

Outro fator importante que estimula o interesse pelos cursos técnicos é a possibilidade que o estudante tem de fazê-lo gratuitamente, esse projeto é uma parceria entre governo federal, instituições profissionalizantes e escolas Públicas. A experiência da escola Dr. Fontes Ibiapina teve bastante êxito, sobretudo porque os conteúdos foram minitrados paralelamente à prática o que motivou e estimulou os discentes a concluírem os cursos e diminuir a evasão escolar.

Referências bibliográficas
  • http://www.portaleducacao.com.br/iniciacao-profissional/artigos/51237/cursos-profissionalizantes-vantagens#ixzz3sSqJHaUa
  • GRAVINA, M.A. e SANTAROSA,L.M.C. Aprendizagem da matemática em ambientes informatizados.Informática na Educação: Teoria e Prática, Porto Alegre, v.2, n.1, p.73-87, maio. 1999.
  • SILVA, Marco. Sala de Aula Interativa: A Educação Presencial e a Distância em Sintonia com a Era Digital e com a Cidadania. Disponível em: . Acesso em: 10 jan. 2012.
  • DEMO P 2008ª Saber Pensar é Questionar. LiberLivro, Brasília (no prelo). Revista Brasileira de Docência, Ensino e Pesquisa e m Educação Física – ISSN 2175-8093 – Vol. 1, n. 1, p.53-75, Agosto/2009.

  • Elisete Sousa dos Santos
    Escritora ISBN 978-85-919594-0-2
    Prefixo Editorial 919594